Relatório Mundial de Saúde 2013. OMS pede que países invistam em pesquisas para desenvolver sistemas universais de saúde.

oms_Relatório Mundial de Saúde 2013_UCA

Foi  lançado em Pequim na China, pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Relatório Mundial de Saúde 2013 com a pesquisa para a cobertura de saúde universal e no evento, a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, pediu aos países para que continuem a investir em pesquisas a fim de desenvolver sistemas universais de saúde pois, para a OMS, os países com a cobertura universal de saúde garantirão que seus cidadãos tenham acesso aos serviços de saúde essenciais.

Margaret Chan descreve ainda a cobertura universal como “o conceito mais poderoso que a saúde pública tem para oferecer” sendo a melhor maneira de patrimonizar os avanços e progressos de saúde da  década anterior, tornando-se um instrumento de equalização  e de  justiça social”.

O relatório documenta  como os países que desenvolvem um sistema para a cobertura de saúde universal, podem utilizar a pesquisa para determinar quais as questões de saúde que devem ser tratadas e priorizadas, como o sistema deve ser estruturado e como analisar e medir os progressos de seus sistemas de saúde.

O relatório aponta que o investimento nacional em pesquisa em países de baixa e média renda vem crescendo em torno de 5% a cada ano e essa tendência é mais visível nas economias emergentes, como Brasil, China e Índia, os quais já adotaram o conceito de cobertura de saúde universal.

Os estudos de casos mostram a importância da pesquisa local e global para melhorar a saúde em diversos países, que abrange  desde a prevenção até o  controle de doenças específicas para o melhor funcionamento dos sistemas de saúde. O estudo também enfatiza a necessidade crítica para que a coleta dos dados das pesquisas sejam  realizadas nos locais, onde os pesquisadores podem considerar fatores específicos e localizados.

“A pesquisa para a cobertura de saúde universal não é um luxo, mas sim, é fundamental para a descoberta, desenvolvimento e implantação de intervenções necessárias para manter a boa saúde”, afirma o  relatório.

O relatório também mostra que mais pesquisas em saúde estão sendo publicadas como resultado de colaborações internacionais com cientistas de países de baixa e média renda que estão cada vez mais envolvidos nesses processos, embora os países de alta renda continuem a desempenhar um papel de destaque na maioria dos estudos.

A China hoje,  é um exemplo a ser seguido pois de 2000 a 2010, a quota global de participação de pesquisadores chineses em estudos publicados aumentou de 5% para 13%. O Brasil, Índia e outros países também têm aumentado sua participação em pesquisas publicadas.

“Todas as nações devem ser produtoras, bem como consumidoras de pesquisa. A criatividade e a habilidade dos pesquisadores são a espinha dorsal dos programas de saúde acadêmicos e públicos. A ampla gama de estudos de pesquisa básica e aplicada é essencial para alcançar a cobertura de saúde universal, mas as lacunas entre o conhecimento e a ação estão sendo fechadas lentamente. Precisamos acelerar o processo de trazer cientistas e tomadores de decisão em conjunto para melhorar a cobertura dos serviços de saúde”, afirmou Christopher Dye, diretor do Escritório de Informação da Saúde, HIV / AIDS, Tuberculose, Malária e Doenças Tropicais Negligenciadas e principal autor do relatório..

A cobertura universal de saúde requer um sistema eficiente, com garantia de financiamento dos serviços de saúde, acesso a medicamentos e tecnologias essenciais e trabalhadores de saúde motivados e treinados em número suficiente.

Para enfrentar esses desafios, a OMS está encorajando os doadores internacionais e os governos nacionais não só a investir em pesquisas, mas também apoiar os mecanismos para compartilhar dados e informações, para reforçar a formação e as instituições de pesquisa e reafirmar o compromisso de alcançar a cobertura de saúde universal.

Para baixar os relatórios ou saber mais, clique aqui.

Anúncios

Sobre mbagestaodesaude

A Universidade Corporativa Abramge tem como missão contribuir continuamente para a aquisição de novos conhecimentos no setor de saúde suplementar. Realiza há mais de ... anos os MBAs Gestão de Planos de Saúde e o Gestão de Promoção de Saúde e Qualidade de Vida nas Organizações. É o braço educacional da Abramge – Associação Brasileira de Medicina de Grupo, entidade criada em 08 de agosto de 1966 para representar os grupos médicos que se constituíam em empresas, denominadas medicina de grupo, é hoje importante referência no desenvolvimento do sistema privado de saúde no país. Atuando como interlocutora junto às autoridades governamentais, mantém-se como parceira da sociedade na busca e implementação de soluções e de atenções nos cuidados com a saúde da população brasileira. A Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV) é uma organização não-governamental, sendo a maior referência nacional na área, que tem como missão principal a promoção da integração e o desenvolvimento de profissionais multidisciplinaresvoltados para a atuação em qualidade de vida, divulgando tendências, provocando discurssões/reflexões e formando opiniões balizadoras de estilo de vida, padrões e ambientes saudáveis. O Centro Universitário São Camilo, tradicional instituição privada de educação superior na área da saúde, é mantida pela União Social Camiliana (USC). Atualmente, com inúmeros cursos de graduação e de pós-graduação, incluindo o mestrado pioneiro em Bioética reconhecido pela Capes, o Centro Universitário São Camilo vem recebendo diversos reconhecimentos externos pela qualidade dos serviços prestados à comunidade como, excelente desempenho no ENADE do Ministério da Educação, categorização de seus cursos da área de saúde como melhores do Brasil pelo Guia do Estudante, Prêmio TOP HOSPITALAR, Prêmio HOSPITAL BEST e a certificação ISO 9001/2000 do Inmetro e da Fundação Vanzolini.
Esse post foi publicado em OMS, pesquisas e trabalhos acadêmicos, Saúde mundial. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s