Cursos na área de saúde – MBA´s 2014. Abertas as inscrições para os cursos da Universidade Corporativa ABRAMGE.

cursos2014fixoUCA

Cursos já definidos e inscrições abertas para os MBA´s da Universidade Corporativa ABRAMGE.

Os cursos foram reformulados com base não só em toda a experiência dos mais renomados profissionais do setor mas também com as mais modernas técnicas desenvolvidas pelas maiores empresas e organizações do setor da saúde e com toda a experiência docente e técnica do Centro Universitário São Camilo, conhecida referência no ensino Brasileiro e com padrão internacional.

Os cursos dividem-se nas áreas de MBA Gestão de Promoção de Saúde e Qaulidade de Vida nas Organizações e MBA Gestão de Planos de Saúde.

Para saber mais, clique aqui ou leia nos posts abaixo (Publicados em 1/10/2013).

Anúncios
Publicado em MBA Saúde, pesquisas e trabalhos acadêmicos, Profissionais da medicina, UCA | Deixe um comentário

Exercícios físicos na gravidez: os benefícios e as contraindicações da prática

Especialistas listam os benefícios, dão dicas e apontam os cuidados que devem ser tomados para a prática de exercícios na gravidez

A gravidez é o período mais esperado e o de maior transformação na vida de uma mulher. É neste momento que as futuras mães passam por intensas modificações psicológicas, fisiológicas e físicas. Para diminuir estes incômodos há uma série de atividades físicas que podem ser praticadas sem oferecer riscos, como caminhadas, pilates, yoga ou exercícios dentro d’água, e outras que oferecem risco mediano, como musculação, ginástica aeróbica, levantamento de peso e corrida, devendo somente ser praticadas sob orientação.

Fatores como alterações hormonais, ganho de peso, retenção de líquidos e mudança do centro de gravidade corporal devido ao aumento de tamanho do útero e dos seios são normais durante a gestação. De acordo com especialistas, muitas gestantes desenvolvem um quadro típico de dor lombar, por conta das alterações anatômicas decorrentes da mudança no centro de gravidade corporal.

Neste contexto, os profissionais indicam que exercícios físicos regulares podem ajudar a minimizar o impacto negativo destas e de outras condições, como hipertensão e diabetes gestacional. Para eles, os exercícios devem ser praticados de forma regular e com moderação, além de ser necessária a indicação do obstetra e a avaliação de um ortopedista para o início das atividades.  É indicado que se inicie os exercícios após o terceiro mês de gestação, quando alguns sintomas característicos deste período estão mais amenos em grande parte das mulheres, como náuseas, vômitos e fadiga. As gestantes podem praticar cerca de 30 minutos por dia de exercícios, não ultrapassando a frequência cardíaca de 140 batimentos por minuto. No geral, os médicos indicam que a gestante deve ser capaz de manter um diálogo enquanto se exercita. Caso o exercício exceda essa condição, é hora de reduzir a intensidade.

Os especialistas destacam que a escolha dos exercícios dependerá das preferências e condições físicas apresentadas pela mulher. Para a sequência de exercícios de fortalecimento, por exemplo, os ortopedistas julgam interessante inserir exercícios para os músculos que compõem o assoalho pélvico. Acredita-se que o controle dos músculos pélvicos e um abdômen forte, podem facilitar o nascimento do bebê em partos normais.

Para os exercícios de força, os médicos orientam que é importante a elaboração de um programa que também prepare os membros superiores, para que a futura mãe possa suportar o peso do bebê no colo. Eles também ressaltam a importância da realização de uma boa sequência de exercícios de alongamento antes e depois de cada série, o uso de roupas leves, hidratação com ingestão de bastante água, e recomendam que a prática de atividade física em ambientes muitos quentes seja evitada.

Ao sinal de sangramento vaginal, tontura ou dor de cabeça repentina, dor no peito e inchaço ou dor nas panturrilhas, a prática de exercícios deve ser interrompida e o médico avisado. Segundo os especialistas, seguindo todas estas recomendações, as grávidas poderão exercitar-se e aproveitar a gestação desfrutando dos benefícios produzidos pela prática do exercício.

Abaixo alguns dos benefícios e contraindicações para a prática de exercícios físicos durante a gravidez:

Benefícios

Contraindicações

Absolutas

Relativas*

Melhora do condicionamento muscular e cardiorrespiratório

Hipertensão induzida pela gestação (pré-eclâmpsia)

Hipertireoidismo, hipertensão ou diabetes tipo 1 não controlados

Diminui o risco de pré-eclâmpsia

Ruptura de membranas

Obesidade extrema ou mórbida

Diminui o risco de diabetes gestacional

Múltiplas gestações com risco de nascimento prematuro

Peso corporal extremamente baixo

Maior capacidade de oxigenação

Sangramento persistente no segundo e terceiro trimestre

Histórico de estilo de vida muito sedentário

Ajuda no controle do ganho de peso

Doença cardíaca significativa ou doença pulmonar restritiva

Anemia severa

Maior autoestima

Bronquite crônica

Maior flexibilidade

Limitações ortopédicas

Melhora do sono

 

Diminuição de complicações obstétricas

 

Menor risco de parto prematuro

 

Menor hospitalização e diminuição na incidência de cesárea

 

Melhora da circulação sanguínea

 

Redução do inchaço

 

Alívio nos desconfortos intestinais

 

Diminuição de câimbras nas pernas

 

Fortalecimento da musculatura abdominal

 

Ampliação do equilíbrio muscular

 

 

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

É possível envelhecer com qualidade e sem traumas

Dicas para um envelhecimento sadio

Estima-se que em 2025 o número de pessoas com idade acima de 65 anos ultrapasse os 32 milhões. Esse envelhecimento da população brasileira coloca em debate como lidar com as transformações sofridas pelo corpo, o surgimento de lesões no quadril e joelho.

Especialistas dizem que quando se envelhece o corpo sofre algumas transformações como: perda de força muscular, diminuição da flexibilidade, da agilidade e da coordenação. Em função destas modificações, que são naturais do processo, algumas lesões ou doenças podem surgir e até levar o idoso a óbito. Uma lesão comum é a fratura do quadril, que está relacionada a problemas de postura, quedas e traumas.

Esse tipo de lesão também está ligado diretamente à existência de osteoporose acentuada, considerada pela OMC (Organização Mundial de Saúde) um problema de saúde pública, por ser a fratura com maior índice de morte entre idosos.  Isso acontece, pois, o tratamento indicado é cirúrgico e fisioterapêutico, o que pode causar graves problemas pós-operatórios em pacientes de idade avançada.

Contudo, estes danos podem ser amenizados através da prática de exercícios físicos, sob  supervisão médica, e da adequação do ambiente ao idoso. Recomendam-se atividades leves, regulares e contínuas como a caminhada e a hidroginástica. Isso porque, a atividade física auxilia no fortalecimento dos ossos, diminui o risco de fraturas, previne o desequilíbrio e doenças cardíacas e pulmonares, diabetes e problemas de postura.

Portanto, oferecer informações a esta parcela da população é o melhor meio de prevenir a perda de capacidade funcional, possíveis acidentes domésticos, e de promover a independência física, psicológica e um envelhecimento saudável para os idosos.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Amamentar a criança até os dois anos de idade pode trazer grandes benefícios para mãe e filho.

stk204157rke

Muitas mães têm a prática de amamentar seus filhos até, no máximo, os 12 meses. Mas, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), muitos podem ser os benefícios para a criança e também para a própria mãe, se a amamentação for realizada até os dois anos de idade.

O leite materno contém nutrientes e diversas outras substâncias perfeitamente balanceadas que são suficientes para as necessidades da criança. Além de ser um ato afetivo, importante para mãe e filho, é também uma forma de proteger a criança, que melhora seu sistema imunológico através de substâncias recebidas pelo leite.

Mas, os benefícios da amamentação não param por aí. Segundo a Sociedade de Pediatria de São Paulo, o leite materno protege contra doenças alérgicas, digestivas, cardiovasculares, respiratórias, infecciosas, crônicas como a osteoporose, diversos tipos de câncer, diabetes, desnutrição, meningites, obesidade, sarampos e até de cáries. Fora isso, o leite da mãe ainda promove melhor desenvolvimento neuro-psicomotor, aumenta o QI e melhora o equilíbrio emocional na criança.

Já a mãe que amamenta por mais tempo, sente-se menos ansiosa, corre menos risco de ter anemia, contrair câncer de mama e de ovário, e pode voltar rapidamente ao seu peso normal.

Publicado em Alimentação, campanhas de saúde, comportamento e saúde, dicas de saúde, pesquisas e trabalhos acadêmicos, UCA | Deixe um comentário

Hormônio oxitocina pode melhorar comportamento social de crianças com autismo.

altismoUCA

A oxitocina, também conhecida como “hormônio do amor”, tem a função de estreitar vínculos afetivos. Segundo especialistas, a substância tem a capacidade de deixar as pessoas menos agressivas, mais amáveis e com comportamentos sociais mais adequados.

Um estudo realizado pelo Dr. Ilanit Gordon, da Faculdade de Medicina da Universidade de Yale, nos EUA, comprovou que a oxitocina também pode ajudar crianças autistas a melhorar seus comportamentos sociais.

A pesquisa foi conduzida com 17 crianças de 8 a 16 anos – todas autistas – divididas em dois grupos. O primeiro grupo recebeu um spray nasal com oxitocina e outro sem o hormônio.  Após inalarem a substância, as crianças foram colocadas em uma máquina funcional de ressonância magnética e submetidas a um teste em que deveriam analisar fotografias de olhos de pessoas e de automóveis. Depois, os inaladores foram trocados e o teste, repetido.

O resultado da pesquisa mostrou que o grupo que utilizava o spray com oxitocina, ao analisar as imagens dos olhos, teve maior atividade em áreas do cérebro ligadas às funções sociais. Já com as imagens de automóveis, houve diminuição de atividade nessa mesma região do cérebro. Segundo os pesquisadores, isso indica que a criança adquiriu capacidade de diminuir o foco em um objeto para prestar atenção a um estímulo social.

Publicado em campanhas de saúde, comportamento e saúde, Profissionais da medicina, Saúde mundial, UCA | Deixe um comentário

Doação de sangue é responsabilidade social e deve se tornar um hábito.

doacaodesangueUCA

Abramge incentiva funcionários próprios e de operadoras filiadas através de programa de conscientização.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma em cada cinco pessoas precisará de doação de sangue ao longo da vida. Esse número revela o quanto é fundamental a conscientização da população brasileira sobre a importância da doação. Além de ser um ato de amor e solidariedade, a ação ajuda portadores de doenças como hemofilia, leucemia e anemia, pacientes cirúrgicos e vítimas de acidentes. Para o presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Arlindo de Almeida, a coleta de sangue deve ser um ato periódico, e por isso há uma preocupação da entidade em mobilizar seus colaboradores em prol da doação. “Se cada pessoa saudável contribuísse duas vezes ao ano, os bancos de sangue estariam com seus estoques abastecidos o suficiente para atender a toda a população”, alerta.

Pensando nisso, desde 2006 a Abramge promove o incentivo à doação de sangue através da ação “Abramge Solidária”. O programa permanente visa conscientizar sobre a importância da responsabilidade social e do voluntariado na causa, envolvendo todos os colaboradores e funcionários das associadas e podendo ser estendido aos familiares de funcionários, fornecedores e empresas clientes. Na primeira campanha a adesão das associadas foi responsável por reunir aproximadamente 600 voluntários e pela arrecadação de cerca de 300 litros de sangue. Arlindo enfatiza que o sucesso da campanha e o seu crescimento dependem da adesão de todos, de ampla divulgação e de exemplo. “Esse tipo de mobilização depende muito de divulgação prévia, tanto em termos de exposição, quanto de esclarecimento. Mas há potencial para uma expansão ainda maior, tendo em vista o grande número de funcionários das operadoras associadas à Abramge. E, como em toda ação corporativa, o exemplo é o primeiro passo e deve começar de cima para baixo”, afirma o presidente.

Com dinâmica simples, o processo de coleta pode ser feito na sede da própria operadora, em uma das redes próprias de atendimento ou em um local pré-estabelecido – todos através de um parceiro coletor. Neste último caso, a operadora disponibilizará o transporte para os voluntários. Os doadores serão cadastrados e passarão por uma entrevista que consiste em checar as exigências para se tornar um doador, tais como condição de saúde, idade e peso. O processo leva menos de uma hora e não oferece risco de contração de doenças infecciosas, pois todo o processo é realizado seguindo normas de segurança e higiene.

Publicado em campanhas de saúde, Saúde mundial, UCA | Deixe um comentário

Crescimento da obesidade infantil é alto e deve ser combatido.

Abramge investe em conscientização familiar e atuação próxima aos profissionais de saúde no combate à obesidade infantil

obesidadeinfantilUCA

A obesidade infantil, longe de ser um problema simples, já é considerada no mundo uma doença crônica e epidêmica. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 22 milhões de crianças, com menos de cinco anos, são portadoras de sobrepeso ou obesas. No Brasil, dados do Ministério da Saúde indicam que, cerca de seis milhões de crianças e jovens sofrem desse mal; uma em cada três crianças está acima do peso; e a estimativa para 2015 é que serão 2,3 bilhões de adultos com sobrepeso e outros 700 milhões obesos. Em 2020, 60 milhões de crianças poderão ser obesas.

Estas estatísticas revelam a necessidade do Poder Público, da iniciativa privada e da sociedade como um todo de combater este quadro crítico de obesidade. O excesso de peso provoca o surgimento de vários problemas de saúde como diabetes, problemas cardíacos e a má formação do esqueleto. Isso significa uma piora na qualidade de vida e riscos desnecessários à saúde. Sedentarismo, mau hábito alimentar, fatores genético e psicológico estão entre os principais agentes do aumento da obesidade infantil.

Para evitar esse tipo de situação, as atividades físicas são recomendadas em todas as faixas etárias. O ideal é tirar a criança da frente dos aparelhos eletrônicos – esse é um dos fatores propulsores no desenvolvimento da obesidade. O público infantil é vulnerável e muito exposto às propagandas na TV, que costumam ser relacionadas a alimentos de fast food, doces e refrigerantes.

Preocupada com o crescimento deste número, a Associação Brasileira de Medicina Suplementar (Abramge) passa a enfrentar esse problema através de programa de incentivo à educação nutricional, por meio de informações e ações práticas. Além disso, a Abramge tenta conscientizar pais e mães para que saibam lidar com a situação e possam ajudar na diminuição dos índices da doença.

A Abramge também atua junto às operadoras associadas e aos profissionais de saúde com discussões técnicas, distribuição de material de comunicação e reforço de protocolos. No entanto, existem algumas atitudes que podem ajudar a evitar a obesidade infantil, tais como, seguir uma alimentação balanceada, respeitar os horários das refeições, não beliscar comida fora de hora, evitar alimentos gordurosos e refrigerantes, beber bastante água e praticar atividades físicas.

Publicado em Alimentação, campanhas de saúde, comportamento e saúde, Profissionais da medicina, Saúde mundial, UCA | Deixe um comentário

Um parto normal e humanizado é a melhor opção para mamãe e bebê.

Programa da Abramge de incentivo ao parto natural busca a educação das mães e gestão dos profissionais visando diminuir o alto índice de cesáreas realizadas no país .

partohumanizadoUCA

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o Brasil é o país que mais pratica a cesárea no mundo. Cerca de 52,2% dos partos realizados em média no pais são cesarianas, contrariado a recomendação das autoridades que é de 15%. Este alto índice, que no setor suplementar se eleva para 82%, preocupa as autoridades, pois, por ser uma cirurgia indicada para os casos que configurem risco materno e/ou fetal, a cesariana, prescrita eletivamente, aumenta os riscos de complicações e de morte para a mulher e para o recém-nascido. ”Os números atuais são inaceitáveis, principalmente porque o parto cirúrgico oferece maior risco de vida à mãe”, afirma o presidente da Abramge e pediatra, Arlindo de Almeida.

Com o intuito de promover o parto natural e humanizado, defendido pelas autoridades, a Associação Brasileira de Medicina de Grupo – Abramge, através do programa Parto é Normal, apoia o programa de incentivo ao parto natural do Ministério da Saúde, lançado em 2008.  A meta da entidade é reduzir em pelo menos 15% o número de partos cesáreos realizados, num prazo de três anos,  com a ajuda das operadoras associadas, que já se comprometeram com esse objetivo. Para o presidente da associação, somente educando a população e conscientizando os profissionais de saúde, será possível diminuir este número. “Queremos reduzir o índice de cesáreas no país através de campanhas que propõe ações junto às operadoras associadas, aos médicos e à população em geral em três linhas de atuação: educação em saúde, educação continuada e gestão”, pontua Arlindo.

De acordo com a entidade, na maioria das vezes, as gestantes não recebem as informações necessárias para escolher o tipo de parto mais adequado, além de também serem incentivadas pelos profissionais a optarem pela cesárea,  por ser um parto que pode ser programado, de curta duração e mais lucrativo. No entanto, as grávidas e os médicos devem ser conscientizados de que o parto normal é o melhor para elas e para o bebê. A intenção do programa Parto é Normal é mostrar para as gestantes  que as vantagens de um parto normal são inúmeras como: uma recuperação pós-parto mais rápida, o favorecimento da amamentação, a ausência de dor pós-parto,  menor risco de infecção, adaptação natural do feto e melhor estabelecimento do vínculo entre mãe e bebê, entre outras.

Publicado em campanhas de saúde, comportamento e saúde, dicas de saúde, pesquisas e trabalhos acadêmicos, Saúde mundial, UCA | Deixe um comentário